Notícias
Notícias sobre as soluções financeira

Não consigo pagar um empréstimo. E agora?

Publicado em 21 junho 2017 à 09:00

Os empréstimos podem tornar-se uma autêntica dor de cabeça em matéria de crédito consolidado, caso existam entraves ao cumprimento do mesmo. Por motivos de doença, desemprego ou causas inesperadas é possível que não consiga ter crédito suficiente, mas existem soluções e procedimentos que deve tomar para resolver ou atenuar o processo.

O Plano de Ação para o Risco de Incumprimento – PARI – é um mecanismo existente para o retorno do crédito consolidado e deve iniciar-se com o inventário da documentação contígua ao processo e ao cumprimento rigoroso dos prazos de entrega (10 dias), pelo que poderá ser útil requerer serviços especializados. O documento deve seguir acompanhado pelas causas válidas que levam ao incumprimento. Posteriormente, o caso é analisado à luz do crédito atual e com vista a atingir uma situação de crédito consolidado: acertos no contrato, períodos de carência, redução de taxas, alargamento de prazos, crédito consolidado interno, etc.

Nesta fase, é comum que exista muita verbalização acerca do seu crédito perante o banco, contudo, certifique-se sempre que existe papelada em todas as etapas e conversações, guardando sempre as provas da proposta apresentada. Se lhe negarem o direito a uma proposta escrita, reiterando o uso verbal e informal, tem o direito de reclamar, pedindo o livro de reclamações e exercendo a sua lei. Esta ameaça irá fazer com que o responsável atenda aos seus intentos.

Durante o processo, o banco está impedido de pedir quaisquer comissões de renegociação, havendo também a impossibilidade do banco processar o cliente com o intuito de recuperar o crédito, exceto em casos de insolvência. O banco deverá depois disponibilizar várias opções de PARI, descrevendo as saídas para situações de crédito consolidado. Se a organização bancária não lhe prestou o préstimo adequado tendo em vista a situação de crédito consolidado, pode reclamar junto do Banco de Portugal ou, mais uma vez, através de Livros de Reclamação.